• Dra. Fernanda Sampaio

Rinomodelação ou rinoplastia: qual o ideal para você?

Atualizado: 20 de abr. de 2020

As cirurgias plásticas se tornaram muito comuns nos últimos anos e têm sido procuradas por muitas pessoas insatisfeitas com sua aparência, que desejam melhorar sua autoestima e bem-estar, corrigindo pequenos defeitos ou problemas e até mesmo melhorando a funcionalidade do órgão.

Uma das mais procuradas é a cirurgia plástica no nariz. Mas, junto com ela, existem muitas dúvidas e medos, que vamos tentar esclarecer nesse post.

A primeira coisa que você deve saber é que existem 3 opções quando falamos de operação no nariz: rinoplastia aberta, rinoplastia fechada, e rinomodelação.

As rinoplastias são intervenções cirúrgicas, enquanto a rinomodelação é uma intervenção não-cirúrgica. Isso quer dizer que o grau de complexidade, a recuperação e o tempo, por exemplo, são diferentes entre elas, sendo cada uma indicada conforme o caso apresentado pelo paciente.

A rinomodelação é a menos invasiva delas e consiste em preencher as falhas com o ácido hialurônico – um ácido que nosso corpo produz e, por isso, não causa alergias e é reabsorvido pelo corpo com o passar do tempo. Esse ácido vai modelar o nariz, mas justamente por ser reabsorvido, tem um efeito que dura entre 1 e 2 anos.

O paciente é liberado no mesmo dia, e todo o procedimento é ambulatorial, sem necessidade de internação. Geralmente é feito com anestesia local e leva cerca de 30 minutos.

Já a rinoplastia é mais invasiva, tanto na versão aberta como na fechada, por envolver cortes e até mesmo fraturas intencionais. Conforme as características do paciente, pode ser recomendada uma ou outra, sendo que a rinoplastia aberta permite maior visualização do médico e, por isso, proporciona maior precisão para a correção.

Na rinoplastia fechada, o procedimento é feito com incisões por dentro do nariz. Dependendo da extensão das correções, não é possível usar essa técnica, pois ela acaba fazendo com que o cirurgião faça o procedimento “às cegas” e limita muito o espaço de trabalho.

A outra opção é a rinoplastia aberta, essa sim propícia para correções extensas e reconstrução do nariz de forma mais profunda. Geralmente é indicada para corrigir problemas como desvios de septo, aumento de conchas nasais, assimetrias muito grandes, etc.

Ambas as rinoplastias são feitas em ambiente hospitalar, podendo ser com anestesia local, sedação intravenosa ou anestesia geral, e exigem uma recuperação e pós-operatório com mais cuidados, suspendendo as atividades por cerca de 15 dias e exercícios físicos por entre 2 e 3 meses. O paciente também pode sentir certo grau de desconforto e dor após o procedimento, que são aliviados com o uso de analgésicos e o resultado final é possível de ver na sua plenitude após um ano.

Para saber qual a melhor técnica para você, é importante realizar os exames solicitados pelo médico e passar pela avaliação presencial. Assim, a cirurgiã será capaz de indicar o melhor método conforme as necessidades e expectativas do paciente.

Ainda com dúvidas? Conheça a Dra. Fernanda Sampaio.


10 visualizações0 comentário